Feeds:
Posts
Comentários

Princípios do Pai Nosso

Por Eguinaldo Hélio de Souza

Mas vós orareis assim (Mateus 6.9)

O Pai Nosso não é uma oração qualquer. Foi a oração ensinada pelo Filho. Ninguém que pisou este mundo conhecia o coração do Pai como Ele. Jesus sabia exatamente como funciona o Universo e nossa relação com Deus. Por isso, sua oração é mais que um modelo. São princípios profundos Daquele que conhece todas as coisas. Podemos colher riquíssimos ensinamentos de cada ideia, de cada palavra e frase.

Ela começa com Deus, com o Pai. Ele é o Primeiro, Ele antecede a tudo. Este é o seu lugar. Temos aprendido orações cuja primeira coisa que fazemos é pedir algo para nós mesmos ou para os nossos. A equação tem sido invertida e ao invés de Deus Primeiro temos tido o “eu”. O primeiro princípio nos ensina a colocá-Lo antes de tudo.

Segundo ponto. Ainda não somos nós ou nossas necessidades. É o Reino e a Vontade Dele. Há uma Ordem divina, perfeita, permanente e eterna além e acima dessa nossa ordem humana, pecaminosa e decadente. Esta Ordem, o Reino de Deus, é muito mais importante do que todos os nossos planos e projetos. Mesmo que seja difícil conceituar o que é o Reino de Deus, seu estabelecimento traz a vontade de Deus ao mundo. Amar, viver, sofrer e trabalhar pelo Reino é o segundo princípio. Que o Reino de Deus triunfe sobre tudo.

Por fim nossas necessidades, porque Deus não as ignora. É Ele Quem supre todas elas. Ele nos sustenta. Confiar Nele para nos suprir é outro princípio desta oração.

O quarto princípio é o perdão, de Deus para nós e de nós para outros. Sem perdão a graça de Deus não flui, sua comunhão não se manifesta e a amargura destruidora reina. Vida sem perdão é vida sem salvação e graça. Precisamos pedir perdão e perdoar continuamente.

Por fim, neste mundo mal precisamos do livramento divino. Não apenas do mal que nos fere, mas do mal que praticamos. Nosso livramento está Nele e por isso nosso clamor contínuo deve se dirigir a Ele, pois só Ele impedirá que nosso mal e o mal no mundo nos destrua.

Mais do que uma oração, são lições que nos ajudarão a viver agradando Aquele que nos amou e nos salvou. Seja feita Sua vontade. Na terra, em nós e em tudo.

Ainda Há Homens de Deus

Por Eguinaldo Hélio de Souza

       Elias na caverna

Reservei para mim sete mil homens, que não dobraram os joelhos diante de Baal. (Romanos 11.4)

Nosso tempo, em muitos aspectos, não é diferente de certos períodos registrados nas Escrituras. Há corrupção por todo lado, mesmo em meio ao povo de Deus. Presenciamos coisas que nos deixam tristes, que nos decepcionam. Sabemos que não deveria ser assim, mas é. Dentro de nosso coração há confusão, pois presenciamos situações de pecado ao nosso redor e chegamos ao ponto de duvidar da veracidade da mensagem do Evangelho.

Todavia, Deus tem uma palavra nesse momento – ainda há pessoas suas na terra. Homens e mulheres que têm vivido dignamente diante de Deus e têm andado em temor e tremor. Pessoas que não se deixaram corromper, cujas vestes estão limpas, cujas mãos estão puras. Pessoas que verdadeiramente amam a Deus de todo coração e quando estamos com elas sabemos que fomos tocados pela graça de Deus em suas vidas.

O grande problema é que procuramos em lugares errados. Nós queremos encontra-las em destaque à frente de grandes multidões, achamos que elas estão na mídia, cercadas por títulos e pompas. Confundimos fama com graça, visibilidade humana com manifestação divina. Nem sempre sabemos discernir aparência de essência.

No entanto, verdadeiros homens e mulheres de Deus estão em toda parte. Nem eles mesmos se consideram assim. Sua simplicidade e humildade os impede de classificar-se, de ostentar-se, de orgulhar-se. Eles apenas obedecem ao Senhor com todo o seu coração. Pagam o preço que é exigido e estão sempre prontos a compartilhar do que o Senhor lhes tem dado.

Não significa que não possuem defeitos. Significa apenas que em meio à sua falibilidade eles amam ao Senhor de todo o seu coração, alma e entendimento. Se formos capazes de olhar além das limitações humanas seremos ricamente edificados pela graça de Deus neles e aprenderemos muito com sua vida, palavras e ações.

Sim, há homens e mulheres de Deus neste mundo podre. Há luzes que o Senhor colocou neste mundo escuro para orientar nossos passos. Que os olhos de nossos corações sejam abertos e possamos caminhar na luz de Deus.

Por Que Você Hesita?

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

Pois quem quiser salvar a sua vida, a perderá, mas quem perder a sua vida por minha causa, a encontrará. (Mateus 16.25)

Você já sabe que Deus é a verdade, que Jesus é o caminho, que em sua Palavra você deve confiar. Deus já tem tocado em seu coração, respondido suas orações, ele já tem agido em sua vida. Ele já fez coisas maravilhosas em sua história. Você sabe quem Ele é.

Então por que duvidas? Por que não se entrega a Ele sem reservas? Por que fica vivendo uma vida dupla, uma vida dividida entre Deus e o mundo, entre Cristo e o pecado? Seu coração está dividido, sua mente está dividida. Até quando vai continuar lutando contra aquilo que Ele quer realizar em sua vida? Você tem medo de se entregar a Deus completamente quando deveria ter medo de não se entregar. Não há perigo em Sua vontade. Há perigo fora dela. Guardando você perde e entregando você ganha. Se o teu tudo não for Dele, nada seu será Dele e nada Dele será seu.

Não adianta viver na beira do caminho. Não adianta ser morno, não adianta resistir. Aquele que deu tudo ama você todo e salvará você inteiramente se tudo você entregar. Mas você prefere dar só um pouco, ter só um pouco, ser só um pouco, não vai funcionar. Aquele que chama você o chama por inteiro.

Não viva entre dois reinos. Não ande em dois caminhos. Não sirva a dois senhores. Não tenha medo da opinião dos homens porque esta é passageira. Tenha medo da verdade de Deus, pois só esta permanecerá. Ao final das contas, a Deus daremos conta.

Elias dirigiu-se ao povo e disse: “Até quando vocês vão oscilar para um lado e para o outro? Se o SENHOR é Deus, sigam-no; mas, se Baal é Deus, sigam-no”. O povo, porém, nada respondeu. (1 Reis 18.21, 22)

Está na hora de sair do Vale da decisão, libertar-se da prisão da hesitação. Há portas que só se abrirão quando você disser um sim completo a Deus, quando se render plenamente a Ele.

O medo, a indecisão e a dúvida não salvarão você. Somente a confiança e a entrega trarão a completa redenção de Deus.

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

Arão e Hur mantiveram erguidas as mãos de Moisés, um de cada lado, de modo que as mãos permaneceram firmes até o pôr-do-sol. (Êxodo 17.12)

Febe, Priscila, Áquila, Maria, Urbano, Trifena, Trifosa, Pérside, Gaio, Epafras, Epafrodito, Demas, Tíquico, Crescente, Onésimo, Filemon, Onesíforo, Trófimo, Erasto, Evódia, Síntique, Clemente, Lídia, Aristarco, Marcos, Barnabé, Jesus o Justo, Silvano, Tito, Timóteo, Apolo.

Esta pequena lista de nomes não é uma lista qualquer. Embora muitas dessas pessoas sejam pouco mencionadas no Novo Testamento, elas fizeram parte da vida e ministério do apóstolo Paulo. Nós o admiramos não só por suas palavras inspiradas, mas também por seus feitos. Seu trabalho missionário foi essencial para que o Evangelho se estabelecesse na Ásia e na Europa, e dali para o mundo.

Todavia, ele nada fez sozinho. Pode contar com uma rede de apoio que o ajudou em oração, cuidado, suprimento, evangelização, hospedagem, atuações. Homens e mulheres, pouco conhecidos, foram essenciais para que os projetos de Deus se tornassem realidade. Paulo os menciona com honra e muitas vezes os agradece. Reconhece seu papel, reconhece sua ajuda.

Três verdades essa lista nos ensina. Primeiramente, que ninguém faz nada sozinho, mesmo no Reino de Deus. O Senhor coloca em nossos caminhos pessoas especiais, a quem ele capacitou e chamou para nos apoiar. São homens e mulheres que fazem o que não podemos e preenchem as lacunas das nossas limitações. Ele nos abençoa com pessoas abençoadoras.

Segundo. Não podemos ser ingratos. Não podemos esquecer quem o Senhor tem usado conosco para expandir seu Reino e realizar a sua vontade na terra. A gratidão a Deus é importante, mas a gratidão a essas vidas não é menos importante. Amá-los, respeitá-los e honrá-los faz parte dos sentimentos de Cristo em nós.

E por fim, precisamos ter consciência que nem todos têm o mesmo papel, nem todos estarão à frente. Isso não significa ser menos importante. Fazemos parte do grande plano de Deus e jamais o compreenderemos em sua imensidão. Todavia, devemos estar prontos para cumprir nossa parte nesse grande plano. Posso ter só um talento, mas quero coloca-lo a serviço daqueles a quem Deus levantou. Eis-me aqui Senhor.

A Grande Desconhecida

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

Jesus, porém, respondendo, disse-lhes: Errais não conhecendo as Escrituras… (Mateus 22.29)

Jesus direcionou essas palavras, não a uma multidão iletrada, analfabeta, incapaz de ler. Também não a direcionou a leigos, pessoas sem formação teológica. Ele as direcionou aos saduceus, um grupo da elite judaica que com certeza estava entre as mais cultas entre o povo. Entre eles havia muitos sacerdotes. No entanto, sobre eles pesou a afirmação de Cristo – “vocês não conhecem as Escrituras”. A Palavra de Deus era uma desconhecida para eles.

Gostaria de dizer que esse fato ocorreu há dois mil anos e que hoje ela não é mais uma desconhecida para aqueles que afirmam crer nela. Mas isto não é verdade. Ainda que milhões e milhões de exemplares sejam vendidos e distribuídos mundialmente todos os anos, o número daqueles que dominam seu conteúdo ainda é muito pequeno. O tempo gasto com a Bíblia ainda é muito menor em nossas vidas do que o tempo gasto com entretenimento. Há gente até bem apaixonado por teologia que não é de fato apaixonado pelas as Escrituras. Se fossem, gastariam bem mais tempo com ela.

Quem ama quer perto. Quem ama pensa no que ama. Quem ama não vive sem aquilo que ama. Oh! Quanto eu amo a sua lei! É a minha meditação em todo o dia (Salmo 119.97). É possível alguém defender de unhas e dentes a veracidade e a inspiração da Bíblia e ter bem pouca familiaridade com ela.

Não vamos amar o que não conhecemos. Não vamos obedecer o que não conhecemos. Não vamos pensar os pensamentos de Deus se não lermos e refletirmos sobre esses pensamentos. Não vamos confiar no Senhor, se a revelação que o Senhor fez de si mesmo no tempo e no espaço não for conhecida. Se a leitura diária do registro inspirado dessa revelação divina não for uma realidade, menos real ainda será nosso caminhar com Ele.

Quantos de fato conhecem as Escrituras como devem ser conhecidas? Quantos degustam seus manjares, caminham na sua luz, apropriam-se de suas verdades? Para muitos ela permanece uma ilustre desconhecida.

Não nos basta saber sobre ela. É preciso conhecer ela mesma. Se não vamos errar sempre e muito, tanto quanto os saduceus.

Apaixonados Pelo Futuro

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

A nossa cidadania, porém, está nos céus, de onde esperamos ansiosamente o Salvador, o Senhor Jesus Cristo. (Filipenses 3.20)

Há ainda muita coisa errada em nós. Amamos demais este tempo presente, pensamos demais nesta vida passageira. O futuro de Deus nos parece uma miragem, uma ilusão distante à qual não devemos nos apegar. A verdade é justamente o contrário. A ilusão é o agora. Tudo aqui é provisório, tudo aqui é decadente. Ficamos tanto tempo mergulhados neste mundo decaído que nossa mente tem dificuldades de absorver a eternidade, nosso coração se sente à vontade em meios às aflições e corrupções deste mundo, quando na verdade ele deveria nos incomodar.

A igreja perseguida olha para o alto e para frente, porque sabe que somente lá está o consolo verdadeiro. Ela ama o futuro porque sente em sua carne a dor do ódio que o mundo tem de Deus. Não precisamos esperar a perseguição para despertar nosso Maranata e só então desejar o futuro de Deus. Podemos hoje mesmo, lendo sua Palavra, refletindo em suas promessas, começar a ansiar por tudo aquilo que nos foi predito. Nosso destino é o trono, nosso lugar é com Deus, nosso tempo é o porvir.

Portanto, já que vocês ressuscitaram com Cristo, procurem as coisas que são do alto, onde Cristo está assentado à direita de Deus. Mantenham o pensamento nas coisas do alto, e não nas coisas terrenas. Pois vocês morreram, e agora a sua vida está escondida com Cristo em Deus. (Colossenses 3.1-3)

Claro que há uma tensão em nosso coração que nos faz ficar neste mundo apesar de sua corrupção. Temos uma missão e queremos cumpri-la, temos um chamado e queremos respondê-lo. Isto, todavia, não nos impede de caminhar aqui enquanto cumprimos nossa missão, dirigindo nosso olhar apaixonado para o futuro porque sabermos que lá está tudo quanto amamos e precisamos. “..tendo o desejo de partir e estar com Cristo, porque isto é ainda muito melhor” (Filipenses 1.23).

Posso estar nesta terra e neste tempo. Mas posso ter meu coração preso ao céu e ao futuro. Pois é lá que eu estarei por toda a eternidade.

Semente e Paciência

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

Vejam como o agricultor aguarda que a terra produza a preciosa colheita e como espera com paciência até virem as chuvas do outono e da primavera. (Tiago 5.7)

Quanto tempo nós precisamos esperar até que a semente brote e dê frutos? Uns dias, meses, anos? Depende do fruto que esperamos. Depende do solo. Depende de fatores que estão fora de nosso controle. Não temos poder para fazer nascer. Só temos poder para escolher continuar semeando, ainda que o desafio da demora fez muitos desistirem.

Algumas das nossas orações terão respostas imediatas. Outras, talvez, só serão respondidas após a nossa partida. Algumas de nossas palavras darão fruto em pouco tempo. Outras vezes nossa pregação terá que aguardar anos, até décadas, antes que possamos ver os resultados. Nem sempre nossas ações de amor e bondade na vida de nossos filhos, de nossos irmãos em Cristo e das pessoas ao nosso redor terão pronta gratidão e retribuição. Nem sempre o reconhecimento é imediato.

Ainda assim, somos desafiados a continuar semeando. Pela manhã, semeia a tua semente e, à tarde, não retires a tua mão, porque tu não sabes qual prosperará; se esta, se aquela ou se ambas igualmente serão boas. (Eclesiastes 11.6)

Perseveraremos em oração, mesmo sem nuvens de respostas no horizonte. Pregaremos, mesmo quando só tivermos ouvintes indiferentes. Amaremos, mesmo que a frieza predomine ao derredor. Aquele que nos mandou semear, nunca disse que seria fácil.

Em alguns momentos nós nos perguntaremos se está valendo a pena o nosso amor. Em outros, choraremos diante de tanta indiferença. O silêncio divino nos fará duvidar da eficácia da oração. E ainda assim, o tempo tem mostrado que os que semeiam em lágrimas colhem com alegria (Salmo 126.5, 6).

É bem provável que muito do fruto do nosso esforço só poderá ser visto na eternidade. Por isso, não queremos estar com os que retrocedem. Queremos crer até o fim, lutar até o fim, semear até o fim. Dentro de nós o Espírito grita que a nossa obra tem uma recompensa e que a demora das respostas jamais devem nos impedir de caminhar.

Há um Deus no final desta jornada e Ele diz que a nossa obra não é vã no Senhor.

%d blogueiros gostam disto: