Feeds:
Posts
Comentários

A Grande Desconhecida

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

Jesus, porém, respondendo, disse-lhes: Errais não conhecendo as Escrituras… (Mateus 22.29)

Jesus direcionou essas palavras, não a uma multidão iletrada, analfabeta, incapaz de ler. Também não a direcionou a leigos, pessoas sem formação teológica. Ele as direcionou aos saduceus, um grupo da elite judaica que com certeza estava entre as mais cultas entre o povo. Entre eles havia muitos sacerdotes. No entanto, sobre eles pesou a afirmação de Cristo – “vocês não conhecem as Escrituras”. A Palavra de Deus era uma desconhecida para eles.

Gostaria de dizer que esse fato ocorreu há dois mil anos e que hoje ela não é mais uma desconhecida para aqueles que afirmam crer nela. Mas isto não é verdade. Ainda que milhões e milhões de exemplares sejam vendidos e distribuídos mundialmente todos os anos, o número daqueles que dominam seu conteúdo ainda é muito pequeno. O tempo gasto com a Bíblia ainda é muito menor em nossas vidas do que o tempo gasto com entretenimento. Há gente até bem apaixonado por teologia que não é de fato apaixonado pelas as Escrituras. Se fossem, gastariam bem mais tempo com ela.

Quem ama quer perto. Quem ama pensa no que ama. Quem ama não vive sem aquilo que ama. Oh! Quanto eu amo a sua lei! É a minha meditação em todo o dia (Salmo 119.97). É possível alguém defender de unhas e dentes a veracidade e a inspiração da Bíblia e ter bem pouca familiaridade com ela.

Não vamos amar o que não conhecemos. Não vamos obedecer o que não conhecemos. Não vamos pensar os pensamentos de Deus se não lermos e refletirmos sobre esses pensamentos. Não vamos confiar no Senhor, se a revelação que o Senhor fez de si mesmo no tempo e no espaço não for conhecida. Se a leitura diária do registro inspirado dessa revelação divina não for uma realidade, menos real ainda será nosso caminhar com Ele.

Quantos de fato conhecem as Escrituras como devem ser conhecidas? Quantos degustam seus manjares, caminham na sua luz, apropriam-se de suas verdades? Para muitos ela permanece uma ilustre desconhecida.

Não nos basta saber sobre ela. É preciso conhecer ela mesma. Se não vamos errar sempre e muito, tanto quanto os saduceus.

Apaixonados Pelo Futuro

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

A nossa cidadania, porém, está nos céus, de onde esperamos ansiosamente o Salvador, o Senhor Jesus Cristo. (Filipenses 3.20)

Há ainda muita coisa errada em nós. Amamos demais este tempo presente, pensamos demais nesta vida passageira. O futuro de Deus nos parece uma miragem, uma ilusão distante à qual não devemos nos apegar. A verdade é justamente o contrário. A ilusão é o agora. Tudo aqui é provisório, tudo aqui é decadente. Ficamos tanto tempo mergulhados neste mundo decaído que nossa mente tem dificuldades de absorver a eternidade, nosso coração se sente à vontade em meios às aflições e corrupções deste mundo, quando na verdade ele deveria nos incomodar.

A igreja perseguida olha para o alto e para frente, porque sabe que somente lá está o consolo verdadeiro. Ela ama o futuro porque sente em sua carne a dor do ódio que o mundo tem de Deus. Não precisamos esperar a perseguição para despertar nosso Maranata e só então desejar o futuro de Deus. Podemos hoje mesmo, lendo sua Palavra, refletindo em suas promessas, começar a ansiar por tudo aquilo que nos foi predito. Nosso destino é o trono, nosso lugar é com Deus, nosso tempo é o porvir.

Portanto, já que vocês ressuscitaram com Cristo, procurem as coisas que são do alto, onde Cristo está assentado à direita de Deus. Mantenham o pensamento nas coisas do alto, e não nas coisas terrenas. Pois vocês morreram, e agora a sua vida está escondida com Cristo em Deus. (Colossenses 3.1-3)

Claro que há uma tensão em nosso coração que nos faz ficar neste mundo apesar de sua corrupção. Temos uma missão e queremos cumpri-la, temos um chamado e queremos respondê-lo. Isto, todavia, não nos impede de caminhar aqui enquanto cumprimos nossa missão, dirigindo nosso olhar apaixonado para o futuro porque sabermos que lá está tudo quanto amamos e precisamos. “..tendo o desejo de partir e estar com Cristo, porque isto é ainda muito melhor” (Filipenses 1.23).

Posso estar nesta terra e neste tempo. Mas posso ter meu coração preso ao céu e ao futuro. Pois é lá que eu estarei por toda a eternidade.

Semente e Paciência

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

Vejam como o agricultor aguarda que a terra produza a preciosa colheita e como espera com paciência até virem as chuvas do outono e da primavera. (Tiago 5.7)

Quanto tempo nós precisamos esperar até que a semente brote e dê frutos? Uns dias, meses, anos? Depende do fruto que esperamos. Depende do solo. Depende de fatores que estão fora de nosso controle. Não temos poder para fazer nascer. Só temos poder para escolher continuar semeando, ainda que o desafio da demora fez muitos desistirem.

Algumas das nossas orações terão respostas imediatas. Outras, talvez, só serão respondidas após a nossa partida. Algumas de nossas palavras darão fruto em pouco tempo. Outras vezes nossa pregação terá que aguardar anos, até décadas, antes que possamos ver os resultados. Nem sempre nossas ações de amor e bondade na vida de nossos filhos, de nossos irmãos em Cristo e das pessoas ao nosso redor terão pronta gratidão e retribuição. Nem sempre o reconhecimento é imediato.

Ainda assim, somos desafiados a continuar semeando. Pela manhã, semeia a tua semente e, à tarde, não retires a tua mão, porque tu não sabes qual prosperará; se esta, se aquela ou se ambas igualmente serão boas. (Eclesiastes 11.6)

Perseveraremos em oração, mesmo sem nuvens de respostas no horizonte. Pregaremos, mesmo quando só tivermos ouvintes indiferentes. Amaremos, mesmo que a frieza predomine ao derredor. Aquele que nos mandou semear, nunca disse que seria fácil.

Em alguns momentos nós nos perguntaremos se está valendo a pena o nosso amor. Em outros, choraremos diante de tanta indiferença. O silêncio divino nos fará duvidar da eficácia da oração. E ainda assim, o tempo tem mostrado que os que semeiam em lágrimas colhem com alegria (Salmo 126.5, 6).

É bem provável que muito do fruto do nosso esforço só poderá ser visto na eternidade. Por isso, não queremos estar com os que retrocedem. Queremos crer até o fim, lutar até o fim, semear até o fim. Dentro de nós o Espírito grita que a nossa obra tem uma recompensa e que a demora das respostas jamais devem nos impedir de caminhar.

Há um Deus no final desta jornada e Ele diz que a nossa obra não é vã no Senhor.

Ai de ti Absalão!

Por Eguinaldo Hélio de Souza

Absalão

Também Absalão se levantou pela manhã e parava a uma banda do caminho da porta.(…) Dizia mais Absalão: Ah! Quem me dera ser juiz na terra, para que viesse a mim todo o homem que tivesse demanda ou questão, para que lhe fizesse justiça! Sucedia também que, quando alguém se chegava a ele para se inclinar diante dele, ele estendia a sua mão, e pegava dele, e o beijava. E desta maneira fazia Absalão a todo o Israel que vinha ao rei para juízo; assim, furtava Absalão o coração dos homens de Israel. (1 Samuel 15.1-7)

 

Ai de ti Absalão, porque queres uma posição que não é tua, uma honra que não te pertence, almejas um lugar que não é teu. O teu desejo não é igual aos teus méritos e por isso roubaste com palavras suaves aquilo que não foi dado a ti. O que teu pai conquistou com a graça de Deus quiseste obter com tua própria força e astúcia e por isso jamais conseguirás reter.

Absalão! Absalão! Tuas doces palavras escondem veneno, tua voz maviosa é enganosa. Os que te dão ouvidos caminham para a ruína, pois teus caminhos a lugar nenhum conduzem senão ao erro e teus palácios não passam de ilusão. Teus caminhos parecem direitos, mas no fim são caminhos de morte.

Ai de ti, Absalão, pois queres edificar dividindo, queres construir com traição aquilo que só pode ser construído em Deus. Não estás buscando a vontade Dele, mas a tua. E em algum momento de tua história isso será revelado.

Também ai de ti, seguidor de Absalão. Tu o seguiste porque teu coração estava vazio e sem consultar ao Senhor acompanhaste os passos dele. Não tiveste fome e sede de justiça. Ficaste satisfeito com as migalhas enganosas que te foram lançadas. Seguiste alguém a quem o Senhor não levantou, mas alguém que a si mesmo se fez líder. O jeito dele era doce e agradável, mas suas palavras não passavam de ilusão.

Nada mais do que tragédia e perda há nesse caminho e a menos que mudes a direção na qual avanças, tua dor será sobremodo grande.

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

Considera o que digo, porque o Senhor te dará entendimento em tudo. (2 Timóteo 2.7)

Temos que atentar para toda a Palavra de Deus, mesmo que no momento elas não façam sentido. Elas são verdadeiras, ainda que no presente momento não se encaixem com a realidade ao redor ou com minha realidade. Neste mundo confuso e escurecido leva tempo para que a luz de Deus penetre e nossos olhos se acostumem a ela. Todavia, chegará a hora em que tudo veremos claramente à luz de Sua revelação.

Somos ansiosos demais. Queremos que todas as dúvidas sumam de repente e apesar de termos andado tanto tempo longe do Senhor, queremos que tudo mude como em um passe de mágica. Nossa incompreensão de nossos caminhos, nossa perplexidade diante de tantas perguntas sem respostas, refletem essa nossa pressa de aprender tudo e saber tudo instantaneamente. Alguns, porque não compreendem de pronto, acabam descrendo e se afastam do único Deus que lhes pode dar a luz verdadeira.

Deus dará a você a compreensão. Persiste em ler, persiste em obedecer, persiste em crer, persiste em meditar. Muita coisa permanece obscura até que o livro termine. Assim é com Deus. Estamos em meio ao seu processo e nem sempre suas palavras farão sentido. Ele parece dizer coisas que não se encaixam. Suas promessas estão aparentemente distantes de nossa realidade. E, contudo, nossa perseverança Nele mostrará que Ele jamais mente ou se engana.

Leva tempo para que a comida que a criança come faça dele um adulto. Ele, contudo, deve se alimentar continuamente até o momento em que o efeito do alimento se faça perceber. Assim é a Palavra. São precisos muitos anos de dedicação e meditação nela para que os frutos apareçam. Leva tempo para que ela mude nossa mente, fortifique nosso espírito, nos faça vencedores sobre nossa carne, o mundo e o maligno que nos rodeia.

Quando chegamos a este ponto, então poderemos ouvir:

“Eu vos escrevi, jovens, porque sois fortes, e a palavra de Deus está em vós, e já vencestes o maligno” (1 João 2.14)

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

E disse o SENHOR: Tiveste compaixão da aboboreira, na qual não trabalhaste, nem a fizeste crescer; que, em uma noite, nasceu e, em uma noite, pereceu; e não hei de eu ter compaixão da grande cidade de Nínive. (Jonas 4.11)

Vivemos em épocas nas quais as coisas valem muito mais do que as pessoas, onde mata-se por um objeto e onde o ser humano ignora completamente o que é um ser humano. Estamos como Jonas: choramos e desejamos a morte por causa de um pé de abóbora, enquanto odiamos até a morte uma cidade inteira. Como os discípulos, nós já não sabemos de que espírito somos. (Lucas 9.55).

Jesus veio busca e salvar o perdido. E nos mandou fazer o mesmo. Mas as coisas desta vida, a ambição das riquezas e os prazeres deste mundo têm embotado nosso coração. Já não se fala em ganhar almas, não se ama mais os perdidos, coisas sem fim ocupam nossa mente. Estamos vivendo e nos frustrando ao redor de nossas aboboreiras e chorando raramente ou quase nunca por pessoas, imagens de Deus que perecem e perecem eternamente. Nosso pecado tem sido o pecado de dez Jonas. Vivemos no aboboral ao lado de um mundo que caminha para a destruição e só temos olhos e coração para ele.

A estrutura do universo não mudou. Permanece a mesma que um dia foi revelada nas Escrituras. Um perdido é um perdido eterno. Um não salvo será um não salvo para sempre. O Caminho, a Verdade e a Vida não mudaram de nome – ainda é Jesus.

Não basta sair da boca do peixe. Não basta atravessar a cidade cumprindo uma obrigação. Não basta uma obediência externa se nosso coração não é movido com a compaixão de Deus. Se for assim, logo nossos pés se embaraçarão em qualquer coisa no caminho e iremos permanecer indiferentes à necessidade de salvação das almas ao nosso redor.

Um hino antigo precisa falar novamente ao nosso espírito para que não apenas nossos atos mudem, mas para que nossa mente seja transformada:

Irmão, você sabe o valor que tem uma alma? / Nem todos recursos humanos poderiam pagar! O dinheiro, a prata e o ouro do mundo inteiro É pouco demais pro valor de uma alma poder comparar.

O Que Entregar?

Por Eguinaldo Hélio de Souza

 

Agora, pois, ó Deus nosso, graças te damos e louvamos o nome da tua glória. Porque quem sou eu, e quem é o meu povo, que tivéssemos poder para tão voluntariamente dar semelhantes coisas? Porque tudo vem de ti, e da tua mão to damos.. (1 Crônicas 29.13, 14)

Ó Deus, o que posso te entregar que já não seja Teu? “Do Senhor é terra e a sua plenitude, o mundo e os que nele habitam” (Salmo 24.1). De Ti, por Ti e para Ti são todas as coisas. Quanto mais minha pequenez e minha pobreza. E ainda que eu entregue tudo o que possuo, ainda assim, nada estarei dando senão o que é Teu. Mesmo que a Ti consagre, tudo o que sou, também o que sou a Ti pertence como tudo o mais.

De fato nós não nos entregamos. Nós nos devolvemos a Ti. Retornamos para Aquele de quem jamais deveríamos ter nos afastado. Reconectamos nossas vidas com a Vida que sustenta toda vida e longe da qual só há morte. Como escreveu teu servo: “Fizeste-nos para ti e inquieto está nosso coração, enquanto não repousa em Ti” (Agostinho). Nada Te acrescentamos quando a ti nos rendemos, pois nada perdias com nossa ausência. Nós, contudo, coisa alguma somos distante de Ti.

Que posso dar-te meu Senhor, que posso dar-te? Davam os antigos animais sem defeitos (Levítico 1.3). E agora me pedes que eu me dê a mim mesmo sobre o Teu altar (Romanos 12.1). E meu coração se humilha, porque ele bem sabe que não sou um animal sem defeito, mas um em tudo manchado, em tudo deformado, desfigurado no mais íntimo da alma. Não serei uma oferta de cheiro agradável e suave a Ti.

Todavia, me ofereço em Cristo para ser Teu, para que Nele os teus olhos me vejam. Então, já não serei cordeiro imaculado e rejeitado, mas cordeiro aceito no Cordeiro, sangue purificado no Sangue Daquele vive para todo sempre.

Morro Nele, para ressuscitar com Ele. Ressuscito Nele para subir com Ele e estar ao Teu lado por toda a eternidade. Se em mim eu encontro o meu fim, Nele reconheço o recomeço que atinge todas as coisas e me permite ser todo Teu para sempre.

%d blogueiros gostam disto: